Vereador Mirim

Em reunião, nesta sexta-feira, com a Secretária Municipal de Educação, Darli Frota Tândalo, o presidente da Câmara de Vereadores, Abel Hack, juntamente com o coordenador do programa Câmara Mirim, Ney Maia, discutiram os últimos detalhes das eleições para a edição 2018 do projeto.
Uma das novidades desta edição será o uso de urnas eletrônicas – solicitação realizada junto ao Tribunal Regional Eleitoral (TRE) de Santa Catarina e acatada no início desta semana. As eleições também contarão com um número maior de escolas envolvidas – serão 12 unidades de ensino em vez das 10 da edição de 2017.
De acordo com Ney Maia, o número de candidatos inscritos para o programa neste ano também superou as expectativas já que um total de 59 candidatos, distribuídos nas escolas das redes municipal, estadual e particular de ensino, se candidataram para as nove cadeiras do parlamento mirim. “Fizemos, durante esse encontro, ainda a apresentação do número de eleitores das escolas que irá ultrapassar os 2.900 estudantes do quinto ao nono anos”, enfatiza.
Por seguir o mesmo padrão de uma eleição tradicional, a votação se dará através do número do candidato nas urnas. Também as zonas eleitorais serão identificadas para facilitar o acesso dos alunos que terão sua primeira experiência com o equipamento eletrônico para escolher o representante de sua unidade escolar.
Também nesta segunda-feira (9) será apresentado, na Câmara Municipal, um material com algumas regras para a campanha eleitoral como horários e dias, a critério da escola, para a explanação das ideias dos candidatos. “Vamos esclarecer para os alunos candidatos alguns pontos que a legislação eleitoral proíbe”, comenta ainda o coordenador.
Na próxima semana também o TRE, através do setor de voto informatizado, fará a programação das urnas com os dados oficiais. As eleições acontecerão no dia 20 de abril, simultaneamente nas escolas participantes, das 8h30 às 11h30 e das 13h30 às 16h30. Além dos nove vereadores titulares, também serão definidos três vereadores suplentes que, a partir do sistema de rodízio terão a oportunidade de participar do projeto. O objetivo é que os representantes das escolas possam apresentar suas demandas através de seus escolhidos.
O presidente do Legislativo, Abel Hack, destacou que além de promover o acesso dos adolescentes à política, já que durante o programa eles conhecem o funcionamento dos três poderes, o uso do processo eletrônico de votação, através de urnas, os jovens contarão com uma ferramenta fundamental para o exercício da cidadania. “Fico também muito grato ao Juiz Rubens Ribeiro da Silva Neto, pelo apoio dado ao projeto”, citou.
“É muito comum ouvirmos que todos os políticos são iguais e que o voto é apenas uma obrigação. Muitas pessoas não conhecem o poder do voto e o significado que a política tem em suas vidas. Numa democracia, como ocorre no Brasil, as eleições são de fundamental importância”, complementou.
As servidoras Sirlene Mazocco Alexandroni, do Departamento de Projetos e Programas e Patricia Dharfi Walter Valério, do Departamento de Ensino – Séries Iniciais e Finais, acompanharam a reunião na Educação.
Texto e fotos: Edson Frankowiak

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *